As aeronaves movidas a hidrogênio ganham impulso

 

A Airbus está firmemente comprometida com um futuro movido a hidrogênio e agora está promovendo três conceitos diferentes para novos aviões comerciais que podem entrar em serviço por volta de 2035.

O hidrogênio vem ganhando impulso há algum tempo em outros setores de transporte, como rodoviários, ferroviários e marítimos, e está cada vez mais sendo visto como uma alternativa viável de longo prazo ao combustível fóssil. Alguns dos pioneiros mais otimistas no campo estão alegando que poderiam aprovar aeronaves movidas a hidrogênio para serviço já em 2025 ou 2026.

Embora certamente não mereça todo o crédito por mudar essa perspectiva, o anúncio da Airbus em setembro de 2020 de que está buscando ativamente planos para colocar aviões comerciais movidos a hidrogênio em serviço comercial por volta de 2035, sem dúvida, elevou o perfil da tecnologia. O grupo aeroespacial europeu está considerando três opções de design em um projeto denominado ZeroE e pretende escolher qual plataforma de tecnologia avançar em 2024.

O mais novo dos três projetos mostra uma fuselagem de asa mista que a Airbus indicou que seria capaz de transportar até 200 passageiros em voos de cerca de 2.000 nm. A fuselagem excepcionalmente larga, na qual a asa se funde com a seção principal da aeronave, forneceria espaço para uma cabine, bem como para armazenamento e distribuição de hidrogênio. O design baseia-se no modelo Maveric no qual a Airbus vem trabalhando em modo furtivo desde junho de 2019.

Foto: Airbus

 

 

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn