Associações europeias de aviação e EASA juntam esforços para oferecer viagens seguras durante a pandemia

  • Indústria
  • Notícias
  • Associações europeias de aviação e EASA juntam esforços para oferecer viagens seguras durante a pandemia

Diretrizes tratam de toda a jornada da perspectiva do passageiro, no aeroporto de partida, a bordo da aeronave e na chegada

As associações europeias de aviação e a EASA concordaram em fortalecer os esforços para garantir uma experiência de viagem consistente e segura para os passageiros durante a pandemia do COVID-19. A crise de saúde e as restrições de viagens associadas tiveram um impacto devastador no tráfego aéreo e colocaram em risco milhões de empregos que dependem da conectividade aérea. Como a Europa procura agora reabrir, é essencial que as operações sejam marcadas pela implementação consistente de procedimentos de segurança para viajantes em todo o continente. A EASA e o Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) desenvolveram protocolos para as medidas que aeroportos, companhias aéreas e operadoras devem adotar para garantir um retorno seguro. As diretrizes tratam de toda a jornada da perspectiva do passageiro, no aeroporto de partida, a bordo da aeronave e na chegada. Eles contêm medidas específicas e complementares desenvolvidas para garantir a proteção de viajantes e tripulações contra a transmissão do vírus. Os passageiros são obrigados a assumir responsabilidade pessoal para nem mesmo chegarem ao aeroporto se estiverem com sintomas do COVID-19. As operadoras aéreas e os aeroportos foram solicitados a seguir procedimentos avançados de limpeza e desinfecção, bem como seguir as orientações para garantir a melhor ventilação possível enquanto a bordo das aeronaves. A qualidade do ar na cabine é um dos fatores atenuantes mais importantes contra a disseminação do vírus e a maioria das aeronaves possui filtros HEPA instalados que esterilizam o ar para obter a qualidade da sala de operações. Medidas adicionais, como alterações no serviço de bordo, foram recomendadas para reduzir o risco de transmissão através de superfícies contaminadas. Recomendações semelhantes foram emitidas pela Organização Internacional da Aviação Civil (ICAO). Para fortalecer a implementação dessas medidas, as Companhias Aéreas para a Europa (A4E), a Associação Europeia de Aviação Comercial (EBAA), a Associação Europeia de Empresas Aéreas (ERA) e a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) assinaram um acordo de cooperação com a EASA para promover a implementação harmonizada e coordenada dos protocolos pela indústria, pelos governos e pelos viajantes. Um programa complementar também foi criado para monitorar a implementação das diretrizes e fornecer feedback. Mais de 60 organizações que atendem a milhões de passageiros se inscreveram de forma voluntária. O documento pode ser visualizado em https://www.easa.europa.eu/aviation-industry-charter-covid-19  Foto: Paulo Berger

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn