Boeing prevê US$ 15 trilhões com aviões comerciais e o mercado de serviços

Perspectiva para 20 anos estima aumento na demanda para mais de 42.700 novos aviões avaliados em US$ 6,3 trilhões

A fabricante norte-americana Boeing elevou sua previsão de longo prazo para aviões comerciais, pois o aumento do tráfego de passageiros e as aposentadorias futuras de aeronaves estimulam a necessidade de 42.730 novos jatos avaliados em US$ 6,3 trilhões nos próximos 20 anos. A frota global também sustentará a crescente demanda por serviços para aviação comercial, levando a uma oportunidade total de mercado de US$ 15 trilhões. A previsão anual da empresa prevê um aumento de 4,4% no número total de aviões, em relação à previsão anterior. De acordo com dados de frota, existem hoje mais de 900 aviões com mais de 25 anos de idade. Em meados de 2020, mais de 500 aviões por ano chegarão aos 25 anos de idade, o dobro da taxa atual, estimulando a onda de aposentadorias. Os dados explicam por que 44% das novas aeronaves serão necessárias para cobrir apenas as reposições, enquanto o restante apoiará o crescimento futuro. A frota global deverá dobrar de tamanho para 48.540 até 2037, incluindo os aviões que serão mantidos. O segmento de corredor único terá o maior crescimento ao longo do período de previsão, com uma demanda por 31.360 novos aviões, um aumento de 6,1% em relação ao ano passado. Esse mercado estimado em US$ 3,5 trilhões é impulsionado em grande parte pelo crescimento contínuo de companhias aéreas de baixo custo, pela forte demanda nos mercados emergentes e pelo aumento da demanda de reposição em mercados como a China e o Sudeste Asiático. O segmento de fuselagem larga exigirá 8.070 novos aviões avaliados em cerca de US$ 2,5 trilhões nos próximos vinte anos. A demanda por aeronaves do tipo é liderada em parte, por uma grande fase de reposições começando no início da próxima década e a implementação de jatos mais avançados. Por outro lado, a Boeing prevê a necessidade de produção de 980 novos aviões de carga de fuselagem larga durante o período da previsão, um aumento de 60 aeronaves em relação ao ano passado. Além disso, as companhias deverão comprar 1.670 cargueiros convertidos. A enorme frota gera uma demanda forte e crescente por serviços de aviação que vão desde o suporte da cadeia de suprimentos (logística de peças e partes), a manutenção e serviços de engenharia, modificações de aeronaves e operações de empresas aéreas. Nos próximos 20 anos, a fabricante prevê um mercado de US$ 8,8 trilhões para os serviços para aviação comercial, com um crescimento anual de 4,4%. As principais categorias na previsão de serviços incluem o mercado estimado em US$ 2,3 trilhões para manutenção e engenharia, que abrange as tarefas necessárias para manter ou restaurar a navegabilidade aérea de uma aeronave e seus sistemas, componentes e estruturas. Outra categoria importante é o mercado de US$ 1,1 trilhão para operações de voo, que contempla serviços associados à cabine, treinamento e gerenciamento de tripulação e operações de aeronaves. Em termos da divisão geográfica da nova previsão, a demanda por aviões e serviços é igualmente orientada para os principais mercados em crescimento. A região Ásia-Pacífico, que inclui a China, continuará a liderar, representando 42% do total de entregas de aviões e 38% do valor total dos serviços. América do Norte e Europa completam os três primeiros lugares. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn