Boeing suspenderá a produção do jato 737 MAX em janeiro

Decisão permitirá priorizar a entrega das aeronaves armazenadas

A fabricante norte-americana Boeing divulgou um novo comunicado onde afirma que devolver com segurança o 737 MAX ao serviço é a sua principal prioridade. Ciente de que o processo de aprovação do retorno ao serviço do modelo e de determinação de requisitos de treinamento apropriados deve ser extraordinariamente completo e robusto, para garantir que os reguladores, clientes e o público voador confiem nas atualizações da nova versão. Como publicado anteriormente pela empresa, o FAA e as autoridades reguladoras globais determinam o cronograma para a certificação e o retorno ao serviço. Durante o aterramento do jato, a Boeing continuou a construir novos aviões e agora existem aproximadamente 400 exemplares estocados. Dessa forma, como resultado da avaliação contínua da situação, a fabricante decidiu priorizar a entrega de aeronaves já construídas e suspender temporariamente a produção no programa a partir de janeiro do próximo ano. A decisão foi motivada por vários fatores, incluindo a extensão da certificação até 2020, a incerteza sobre o momento e as condições do retorno ao serviço e as aprovações globais de treinamento e a importância de garantir que a empresa possa priorizar a entrega de aeronaves armazenadas. Mais informações em www.boeing.com. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn