Companhias aéreas da América Latina se unem para combater o COVID-19

Clientes da Airbus estão colocando seus equipamentos em uso para prestar assistência à região

Enquanto um número crescente de países impõe e reforça o fechamento de fronteiras como um meio de conter a disseminação do COVID-19, o setor de aviação está se esforçando para fornecer apoio às pessoas afetadas pelo vírus e colaborando em tarefas que impedem a disseminação. O trabalho realizado pela fabricante europeia Airbus, tanto no transporte de suprimentos médicos e essenciais quanto em ações realizadas por seus funcionários, como a produção de bens e equipamentos médicos importantes, como máscaras faciais, visa contribuir para o esforço global de aliviar o impacto da pandemia. Em toda a América Latina, muitos dos clientes da empresa também estão colocando seus equipamentos em uso para prestar assistência à região. A Aerolíneas Argentinas realizou dois voos para a China e confirmou um terceiro com o objetivo de levar suprimentos médicos para retardar o avanço do vírus. Os Airbus A330-200 foram adaptados para trazer materiais vitais na cabine para ajudar a combater a pandemia na Argentina. O primeiro voo trouxe 10.000 máscaras de proteção para uso médico, 50.000 máscaras cirúrgicas, 5.000 unidades de roupas de proteção, 200 termômetros digitais, 1.000 pares de luvas e 1.000 sapatilhas descartáveis. A companhia brasileira Azul também anunciou que fará viagens pela primeira vez à China em seu A330-900, a fim de repatriar cidadãos brasileiros presos no país e levar suprimentos médicos, como exames de rastreamento. A divisão de cargas da companhia também entrou na lista das que contribuem na luta contra o COVID-19, ajudando a associação Expedicionários da Saúde nos seus esforços em levar serviços médicos a várias comunidades brasileiras e a construir um hospital improvisado. O primeiro voo foi realizado pelo Exército de Santarém para Manaus, onde a Azul Cargo recebeu cerca de três toneladas de suprimentos, incluindo berços e equipamentos, que foram transportados para Campinas em um A330-200 paletizado. O hospital temporário espera prestar assistência a uma das áreas mais afetadas pelo vírus. A LATAM está adaptando algumas de suas aeronaves de passageiros, como o A350 e o A321, para operar dezenas de voos de carga exclusivos pelas Américas e em breve para a China, para transportar suprimentos médicos para a América do Sul. A unidade de cargas também usou uma aeronave de passageiros para transportar exclusivamente volumes. O primeiro voo foi realizado entre São Paulo/Guarulhos e Recife em um Airbus A321, com dez toneladas de medicamentos e suprimentos a bordo. Enquanto isso, no Chile, a LATAM também anunciou que forneceria transporte gratuito para equipes médicas, suprimentos clínicos, testes e equipamentos médicos necessários para combater o vírus, bem como o transporte de pacientes doentes com doenças não contagiosas. A Avianca Cargo operou voos para fornecer suprimentos essenciais, medicamentos, produtos farmacêuticos, equipamentos médicos, amostras biológicas e órgãos. No México, a transportadora de baixo custo Volaris entrou em ação em meio à pandemia usando um Airbus A320 para levar equipamento médico essencial para voluntários da Cruz Vermelha em dez cidades do país. Considerando que a higiene é a principal forma de evitar a contração do vírus, 70 caixas de sabão em barra, pesando 7 kg cada e uma caixa de máscaras, pesando aproximadamente 20 kg, foram entregues em cada cidade. Além disso, a empresa transportou cerca de 3,5 toneladas de equipamentos sanitários para cinco cidades do país, trabalhando para apoiar a equipe médica do Instituto Mexicano de Seguro Social, além de transportar 40 kg de suprimentos de saúde para a equipe da IMSS em Tijuana. Nos próximos dias, eles doarão máscaras faciais, ventiladores e monitores de sinais vitais para enfrentar a crise. A Aeromexico também ajudou a Cruz Vermelha a transportar materiais médicos para nove cidades do país através da divisão de cargas. Além disso, a mesma subsidiária operou um voo humanitário para Xangai, na China, para levar equipamentos médicos de volta ao México e continuar seu apoio no país. A Viva Aerobus anunciou que configurou temporariamente dez de seus A320 para fazer voos de carga, onde transportará 19 toneladas por viagem, com o objetivo de atender a emergências de saúde e dar suporte às cadeias de suprimentos relacionadas à saúde do país. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn