Companhias aéreas e aeroportos investem em biometria para facilitar viagens

Estudo divulgado pela SITA mostra como a função está sendo incorporada à evolução do autoatendimento nos terminais do mundo

As companhias aéreas e os aeroportos estão investindo para proporcionar uma viagem segura e fácil aos passageiros, com a tecnologia biométrica sendo uma prioridade fundamental. Isso está de acordo com a pesquisa divulgada pelo provedor global de TI da SITA. O estudo mostra como a função está sendo incorporada à evolução do autoatendimento nos aeroportos do mundo. Nos próximos três anos, 77% dos terminais e 71% das operadoras aéreas estão planejando programas importantes ou pesquisa e desenvolvimento (P&D) em gerenciamento de ID biométrico. A SITA já oferece soluções de gerenciamento de identidade, incluindo sistemas biométricos, que eliminam a necessidade de verificações manuais. Isso melhora a experiência do passageiro ao mesmo tempo em que ajuda companhias aéreas e aeroportos em todo o mundo a atender à variedade de regulamentações dos governos e agências de fronteira. O mais comum deles é a verificação de identidade em quiosques de check-in de autoatendimento. Isso já está em uso em 41% dos aeroportos e 74% têm planos para implantar a tecnologia até o final de 2021. Portões de auto embarque usando biometria com documentação de identificação, como passaporte, também devem se tornar comuns nos próximos três anos, com 59% dos aeroportos e 63% das companhias aéreas que esperam usá-los. A pesquisa da SITA mostra que o setor enfrenta alguns desafios para a adoção completa da biometria na verificação de identidade de passageiros. Mais de um terço das transportadoras aéreas citam a integração das ferramentas e tecnologias nos aeroportos e a falta de padrões para processos e tecnologias para a integração de cheques, como os principais desafios. Para os aeroportos, a situação é semelhante, embora 39% deles digam que cumprir as exigências governamentais e legislativas também é um grande desafio. As empresas aéreas e os aeroportos também estão considerando novas tecnologias para o gerenciamento de identidade de passageiros. Um exemplo é o blockchain; 40% das operadoras e 36% dos terminais acreditam que o principal benefício que o programa pode oferecer é aperfeiçoar esse processo, por exemplo, reduzindo a necessidade de várias verificações de identidade. A pesquisa mostra que o investimento das companhias aéreas nos últimos dois anos tem sido estável, mas as previsões futuras para gastos operacionais e de capital são muito fortes em 2018, com uma previsão de 3,67% de gastos de TI em % da receita. Os gastos com aeroportos também serão fortes, com uma previsão de 5,69% da receita para este ano. As empresas aéreas também estão investindo em novas tecnologias que lhes oferecem benefícios estratégicos e operacionais. A inteligência artificial (IA) é vista como benéfica em uma série de operações aéreas, com 84% das transportadoras planejando ter programas importantes ou de P&D em andamento até 2021. Isso representa um aumento de 52% na pesquisa do ano passado. Os aeroportos também estão investindo em IA, com 61% planejando um grande programa ou pesquisa e desenvolvimento nos próximos três anos, contra apenas 34% em 2017. Enquanto as companhias aéreas e os aeroportos estão investindo em IA, seus usos são diferentes. As companhias aéreas estão analisando o potencial de usar inteligência artificial para agentes virtuais e chatbots, com 85% planejando usá-la até 2021. Cerca de 79% dos aeroportos estão usando ou planejando usar IA para análise preditiva na melhoria da eficiência operacional. Mais informações deste estudo estão disponíveis no endereço https://www.sita.aero/resources/type/surveys-reports/air-transport-it-insights-2018. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn