Conheça as aeronaves produzidas pela Embraer nos últimos 50 anos

Do Bandeirante ao Praetor os modelos mais icônicos idealizados, desenvolvidos e comercializados pela fabricante

A fabricante brasileira Embraer celebra em agosto 50 anos de atuação onde projeta, desenvolve, fabrica e comercializa aeronaves e sistemas, além de fornecer Serviços & Suporte a clientes no pós-venda. Inovação sempre foi o core da companhia e ao longo deste meio século, foram diversos lançamentos e aeronaves reconhecidas globalmente. Em 1969, a empresa é criada para produção em série do avião Bandeirante, que havia sido desenvolvido pelo então CTA – Centro Técnico Aeroespacial. Já em 1970 foi desenvolvido o EMB-200 Ipanema, um monomotor para ser utilizado na pulverização agrícola. Atualmente a aeronave conta com mais três modelos e já foram produzidas mais de 1.300 unidades e segundo a fabricante domina 60% do mercado. O avião foi o primeiro a sair de fábrica com motores a etanol. A partir de 1971 a empresa começou a fabricar o EMB-326 Xavante sob licença da italiana Aermacchi. Este foi o primeiro avião a jato produzido no país e era utilizado para treinamento de pilotos militares e missões de ataque aéreo. Em 1976 o EMB-21 Xingu primeiro turboélice pressurizado fabricado pela Embraer para uso executivo, fez o seu primeiro voo. A aeronave tinha capacidade para dois tripulantes e nove passageiro. Atendendo a demanda interna das companhias aéreas, foi lançado na década de 1980 o EMB-120 Brasília. O modelo tinha capacidade para transporte de até 30 passageiros. Foram produzidas mais de 350 unidades. Voltado para área de defesa, o EMB-312 Tucano, ficou conhecido na FAB como T-27. O avião, que teve seu primeiro voo em 1980, foi totalmente desenvolvido pela Embraer para ser um avião de treinamento e ataque leve. A produção foi encerrada em 1996, com mais de 600 aviões produzidos. Entre 1985 e 1999 a Embraer produziu em parceria com a italiana Aermacchi, o caça subsônico AMX para ser utilizado em ataque, apoio e reconhecimento aéreo. A versão atualizada do modelo recebeu o nome A-1M. Após sua privatização a empresa lançou no mercado o ERJ-145, em 1995. Com capacidade para até 50 passageiros a aeronave já esteve em operação em 36 companhias aéreas de 26 países, realizando mais de 26 milhões de horas de voo. A família ERJ conta com mais três modelos de aeronaves. Em 1999 chegou o EMB-314 Super Tucano, a evolução do Tucano, que, incorpora diversas novas tecnologias para atender os requisitos exigidos pelas Forças Aéreas de diversos países, incluindo os Estados Unidos. Por aqui além do treinamento de novos pilotos da FAB a aeronave é usada para missões de ataque, vigilância e reconhecimento aéreo. Em 2001 chegou ao mercado a linha de jatos executivos Legacy 600 e Legacy 650. A partir de 2002, o portfólio de aviões comerciais cresceu com a chegada dos E-Jets, que inclui os modelos E170, E175, E190 e E195. O Lineage é o maior jato executivo produzido pela empresa e conta com múltiplas configurações de cabine interna, podendo acomodar de 13 a 19 passageiros em até cinco zonas de cabine. O primeiro voo da aeronave aconteceu em 2007. Em 2008 foram desenvolvidos os modelos Phenom 100 e Phenom 300. A Embraer trouxe um conceito extremamente inovador para a categoria de jatos médios com o primeiro voo do Legacy 500, em 2011. O único jato entre seus pares a ter controle de voo completamente digital fly-by-wire, tecnologia de ponta usada até então somente em modelos de aeronaves com mais que o dobro do seu preço ou caças militares. Em 2013 foi realizado o primeiro voo do Legacy 450, jato que estabeleceu um recorde de velocidade em um voo entre a Califórnia e Havaí, de acordo com a NAA, associação aeronáutica dos Estados Unidos. O voo de volta para San Francisco durou 4 horas e 27 minutos e teve velocidade máxima de 987 km/h. Foi na área de defesa que a Embraer produziu o seu maior avião, o jato militar KC-390. A aeronave foi um pedido da Força Aérea Brasileira, que encomendou 28 aeronaves em 2009. O jato tem 35,2 metros de comprimento e capacidade para transportar até 23 toneladas de carga. No dia 3 de fevereiro de 2015, a Embraer realizou o primeiro voo do KC-390. A linha de jatos comerciais da empresa ganhou uma atualização em 2013 com a chegada nos jatos E-2 que trouxeram atualização nos motores e mudanças nas asas para deixar os aviões mais econômicos e eficientes. O E190-E2 foi o primeiro a ser desenvolvido, tendo feito o primeiro voo em maio de 2016. Os mais recentes lançamentos da Embraer foram para sua linha de jatos executivos. Em outubro de 2018 a empresa apresentou os seus novos jatos de médio e super médio alcance o, Praetor 500 e Praetor 600, aeronaves mais disruptivas e tecnologicamente avançadas e com mais alcance. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn