Embraer apóia retirada de reclamação de subsídio à OMC do Brasil

 

Em nota, a Embraer apoiou a decisão do Brasil de retirar uma reclamação em andamento perante a OMC (Organização Mundial do Comércio). O Brasil entrou com uma ação pela primeira vez na OMC contra o Canadá em fevereiro de 2017, citando os US$ 3 bilhões dados ao programa Bombardier C-Series como sendo subsídios ilegais que distorceram o mercado.

No entanto, o mercado mudou rapidamente desde que a queixa foi apresentada pela primeira vez contra o Canadá. A aquisição do programa C-Series pela Airbus (agora conhecido como A220) e a abertura de novas linhas de produção significou que uma decisão não teria mais efeito que a Embraer esperava.

A Embraer está agora procurando outras vias para corrigir o efeito dos subsídios. Organizações como o Entendimento do Setor de Aeronaves da OCDE (Organização Econômica de Cooperação e Desenvolvimento) podem fornecer outros meios para resolver essas disputas.

O A220 teve alguns anos fortes, com pedidos para o jato aumentando globalmente desde a aquisição do programa pela Airbus. Até hoje, a Airbus acumulou 630 pedidos do jato, incluindo compromissos importantes da Delta, JetBlue e Air France. Esse domínio crescente ameaça a posição da Embraer como líder de mercado no mercado de jatos regionais.

Foto: Divulgação

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn