Embraer divulga resultados financeiros do 2° trimestre do ano

Fabricante apresentou prejuízo líquido de R$ 467,0 milhões e prejuízo por ação de R$ 0,6367 no período

A fabricante brasileira Embraer anunciou os resultados financeiros do 2° trimestre de 2018, onde a receita líquida foi de R$ 4.533,1 milhões, apresentando 20% de queda em relação ao mesmo período do ano passado em função de um menor número de entregas nos segmentos de Aviação Comercial e Executiva e uma queda significativa na receita do segmento de Defesa & Segurança como resultado da revisão da base de custos do contrato de desenvolvimento do modelo KC-390. Além disso, a receita desse segmento no 2° trimestre de 2017 foi a maior registrada entre todos os trimestres do ano passado devido ao impacto do lançamento do satélite SGDC, ocorrida em maio desse mesmo ano. Essas quedas foram parcialmente compensadas pelo crescimento de 18% na receita do segmento de Serviços & Suporte no mesmo período. Em função dos fatores expostos acima, no 1° trimestre desse ano, a receita líquida da Embraer foi de R$ 7.760,4 milhões, representando uma queda de 13% em comparação aos R$ 8.969,5 milhões do mesmo período de 2017. A margem bruta consolidada caiu de 17,8% no 1° trimestre do ano passado para 10,7% no mesmo trimestre desse ano impactada principalmente pela já mencionada revisão da base de custos do contrato de desenvolvimento do jato militar. No 1° trimestre de 2018, a margem bruta consolidada foi de 13,9% comparada aos 17,4%, do mesmo período do ano anterior. O resultado operacional (EBIT) e a margem operacional no 2º trimestre de 2018 foram de R$ 82,8 milhões e -1,8%, respectivamente, e teve queda em relação aos R$ 573,8 milhões e os 10,1% reportados no 2° trimestre de 2017 em função do impacto negativo de um item especial, não recorrente de R$ 458,74 milhões, reconhecido no 2° trimestre desse ano, referente à revisão da base de custos do contrato de desenvolvimento do KC-390, em decorrência do incidente com o protótipo ocorrido em maio último. Os resultados da companhia no 2° trimestre de 2017 também incluíram itens especiais, não recorrentes que influenciaram positivamente o EBIT em R$ 30,9 milhões e incluem o benefício de R$ 38,6 milhões, referentes à conversão dos claims relacionados ao processo de falência da Republic Airways e de R$ 4,0 milhões de reversões relacionadas ao Programa de Demissões Voluntárias (PDV), bem como o impacto negativo de R$ 11,7 milhões relacionados aos impostos sobre as remessas executadas para pagamentos no exterior, após a finalização da investigação do FCPA. No 1° trimestre do ano, o EBIT e a margem EBIT foram de R$ 5,3 milhões e 0,1%, respectivamente, comparados ao EBIT de R$ 700,4 milhões e à margem EBIT de 7,8% do mesmo trimestre de 2017. É importante ressaltar que o impacto não recorrente da revisão de base de custos do KC-390 não influencia as estimativas para 2018 de EBIT ajustado de US$ 270 a US$ 355 milhões, de EBITDA ajustado de US$ 540 a US$ 650 milhões e de margens ajustadas EBIT entre 5% e 6% e EBITDA entre 10% e 11%. As despesas administrativas totalizaram R$ 149,6 milhões no período, representando crescimento em relação aos R$ 128,3 milhões relatados no 2º trimestre de 2017. No período, a Embraer apresentou prejuízo líquido de R$ 467,0 milhões e prejuízo por ação de R$ 0,6367. Isso se compara no 2º trimestre de 2017 com o lucro líquido de R$ 200,9 milhões e com o lucro por ação de R$ 0,2732. No 1° trimestre de 2018, o prejuízo líquido foi de R$ 507,1 milhões e prejuízo por ação de R$ 0,6913, enquanto no mesmo trimestre do ano passado a companhia apresentou um lucro líquido de R$ 369,4 milhões e um lucro por ação de R$ 0,2732. O lucro líquido ajustado, excluindo Imposto de renda e contribuição social diferidos e também o impacto líquido, após imposto do item especial não recorrente descrito anteriormente, foi de R$ 2,3 milhões no 2º trimestre de 2018 , comparado ao lucro líquido ajustado de R$ 409,4 milhões no mesmo trimestre do ano passado. O lucro por ação excluindo-se esses mesmos itens foi de R$ 0,0031 no período, comparado ao lucro por ação de R$ 0,5567 do 2º trimestre de 2017. No 1° trimestre do ano, o prejuízo líquido ajustado foi de R$ 75,5 milhões, comparado ao lucro líquido ajustado de R$ 535,6 milhões no mesmo período do ano passado. O prejuízo por ação ajustado foi de R$ 0,1027 no 1º trimestre de 2018, comparado ao lucro por ação ajustado de R$ 0,7283 do mesmo período do ano passado. A Embraer encerrou o 2º trimestre de 2018 com uma posição de dívida líquida de R$ 2.780,9 milhões, representando um aumento em relação à dívida líquida de R$ 2.521,5 milhões ao final do 1º trimestre do ano, principalmente em função da variação cambial do período. No final do período, a empresa possuía um total de financiamentos da ordem de R$ 15.663,4 milhões, aumento de R$ 1.746,6 milhões em relação ao final do 1° trimestre de 2018.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn