IATA alerta que companhias aéreas na América Latina e no Caribe estão em perigo

Associação entende que é necessário apoio urgente dos governos da região

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) emitiu um apelo urgente aos governos da América Latina e do Caribe para que tomem medidas específicas para ajudar o setor de aviação a sobreviver à pior crise de todos os tempos. O fechamento de fronteiras e as restrições de viagens impactaram severamente a aviação por mais de três meses e com o COVID-19 ainda muito presente na região, o reinício do setor em muitos países parece estar a alguns meses de distância. Esta situação é insustentável e corre o risco de colapso de todo o setor. Os governos da América Latina e do Caribe continuam sendo os menos favoráveis ​​à aviação, um setor que antes da crise contribuía com US$ 167 bilhões em seu PIB e apoiava 7,2 milhões de empregos em toda a região. As previsões mostram agora uma queda de pelo menos US$ 77 bilhões na contribuição do transporte aéreo para o PIB, com mais de 3,5 milhões de empregos em risco. O tráfego de passageiros nas companhias aéreas da região caiu 96% em abril. Embora o Brasil, o Chile e o México tenham visto operações limitadas em abril, eles ainda apresentaram reduções de tráfego acima de 90%. A conectividade aérea e seus benefícios socioeconômicos associados em toda a região estão em risco. Isso já impactou diretamente os negócios, desde empresas familiares até grandes corporações ao longo de toda a cadeia de valor de viagens e turismo, bem como indústrias que dependem de carga aérea para suas importações e exportações. A expectativa é que diferentes países acabem permitindo a retomada das operações em datas diferentes. Portanto, é essencial que os principais atores da indústria e os governos trabalhem juntos para facilitar o reinício das operações aéreas de maneira segura, eficiente e harmonizada. A Colômbia assumiu um papel construtivo na região desde o início da crise do COVID-19, facilitando o alívio financeiro temporário para a indústria da aviação e apoiando protocolos de biossegurança que buscam proteger a saúde de passageiros e funcionários. Mais informações no portal www.iata.org. Foto: Renato Oliveira

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn