IATA mostra Impactos do COVID-19 na aviação e economia da Europa

Companhias aéreas devem perder US$ 21,5 bilhões em 2020, com a demanda de passageiros caindo mais da metade

A Associação Internacional de Transporte Aéreo revelou novas pesquisas que mostram que os impactos no setor de aviação europeu e nas economias causadas pelo fechamento do tráfego aéreo devido à pandemia do COVID-19 pioraram nas últimas semanas. As companhias aéreas na Europa devem perder US$ 21,5 bilhões em 2020, com a demanda de passageiros caindo mais da metade. Isso coloca em risco entre 6 e 7 milhões de empregos apoiados pela aviação somente no continente. Uma recuperação acelerada do transporte aéreo na região é vital para evitar o pior desses impactos. Isso pode ser alcançado através da ação do governo através do reinício coordenado das viagens aéreas, com a abertura de fronteiras (incluindo a eliminação da quarentena) e regras operacionais com base nas orientações de saúde estabelecidas pela Organização Internacional da Aviação Civil (OACI) e a nível europeu pela Agência Europeia para a Segurança da Aviação ( AESA) e o Centro Europeu de Controle de Doenças (ECDC). Também é necessário suporte financeiro e regulatório contínuo, especialmente ajuda financeira direta, extensão da renúncia à regra das faixas horárias de slots e isenção de impostos e taxas. A última avaliação da IATA mostra que as perspectivas a nível nacional pioraram para os principais mercados de aviação da Europa desde abril. O número de passageiros, receita das empresas aéreas, empregos em risco e impactos no PIB dos cinco maiores mercados diminuíram em todas as métricas. Os dados podem ser visualizados em https://www.iata.org/contentassets/2dc66fdff10d455a84535184d206d132/covid-europe-june2020.pdf .

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn