Panamá estende o fechamento de fronteiras pela quarta vez

Copa Airlines é a companhia mais afetada, pois suas possibilidades de recuperação a curto prazo são restritas

Apesar dos custos que implica para o desenvolvimento econômico do país, o Panamá estendeu pela quarta vez o fechamento de fronteiras, mantendo a suspensão de voos internacionais em vigor desde março, quando a crise começou. A decisão foi tomada pela Autoridade Aeronáutica Civil (AAC) do país, que obriga as companhias aéreas locais e internacionais a manter todas as operações suspensas, com exceção dos voos de repatriação e carga, bem como as que transportam suprimentos e equipamentos médicos para enfrentar a pandemia. Devido ao número de operações e dependência de trechos internacionais, a Copa Airlines é a companhia mais afetada, pois suas possibilidades de recuperação a curto prazo são restritas. Segundo dados da Associação Internacional de Transporte Aéreo, a aviação contribui com mais de US$ 8,5 bilhões para a economia do Panamá, o que representa 14% do Produto Interno Bruto. A nova data para o estabelecimento de voos internacionais passou para 23 de agosto, o que representa desafios significativos para o Aeroporto de Tocumen e a Copa Airlines. Mais informações no portal www.aero-naves.com. Foto: Paulo Berger

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn