Passageiros querem mais informações, automação, controle e privacidade

IATA divulgou pesquisa global de passageiros com base em 10.408 respostas em 145 países

A Associação Internacional de Transporte Aéreo anunciou os resultados de sua Pesquisa Global de Passageiros (GPS) de 2018, que mostrou que os viajantes buscam novas tecnologias para lhes dar mais controle, informações e melhorar a eficiência quando viajam. Com base em 10.408 respostas de 145 países, a pesquisa forneceu informações sobre o que os passageiros gostariam de ter com sua experiência de viagem aérea. Eles querem ser mantidos informados durante toda a sua viagem, de preferência através do seu dispositivo pessoal. Receber informações sobre o status do voo (82%), bagagem (49%) e tempo de espera na segurança/imigração (46%) foram identificados como as três principais prioridades dos passageiros após a reserva de um voo. O rastreamento de bagagem em tempo real durante todo o percurso foi visto como uma obrigação para 56% dos passageiros. A maioria dos passageiros (65%) está disposta a compartilhar dados pessoais para agilizar a segurança e 45% estão dispostos a substituir seus passaportes por identificação biométrica. Os viajantes também querem mais opções de autoatendimento. O check-in automatizado foi preferido por 84% dos passageiros. A maioria (47%) prefere fazer o check-in on line usando um smartphone. Apenas 16% preferiram o check-in tradicional. Cerca de 70% dos passageiros querem o check-in de bagagem self-service. Apenas um em cada três viajantes prefere um agente para etiquetar sua bolsa. A etiqueta de bagagem eletrônica está crescendo em popularidade, favorecida por 39% dos passageiros. A experiência geral com procedimentos de imigração automatizados foi classificada favoravelmente por 74% dos passageiros. Uma porcentagem semelhante (72%) acredita que os processos automatizados de imigração são mais rápidos e 65% acreditam que aumentam a segurança. O toque humano ainda é preferido por alguns segmentos de mercado e para determinadas situações. Por exemplo, os passageiros idosos (com 65 anos ou mais) têm uma forte preferência pelos processos tradicionais de check-in (25% vs global 17%) e bag-drop (42% vs 32% do global). E quando há interrupções nas viagens, 40% de todas as faixas etárias de passageiros querem resolver a situação por telefone e 37% por interação face a face. Os passageiros identificaram os processos de segurança/controle de fronteiras e embarque nos aeroportos como dois de seus maiores pontos problemáticos ao viajar. As principais frustrações com a segurança foram a intromissão de ter de remover itens pessoais (57%) como laptops/grandes aparelhos eletrônicos de malas de cabine (48%) e a falta de consistência nos procedimentos de triagem em diferentes aeroportos (41%). Para acessar o relatório completo acesse o endereço www.iata.org/gps .

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn