Rastreamento de bagagem apresenta melhoria de 66% na taxa de entrega

Resultado reflete o benefício do rastreamento conforme as bagagens são carregadas na aeronave

As companhias aéreas que estão adicionando rastreamento em mais pontos da jornada de bagagem estão desfrutando de uma enorme melhoria na entrega de malas globalmente. O relatório produzido pela empresa de tecnologia SITA mostra que, quando o rastreamento é feito no check-in e no carregamento da aeronave, a taxa de melhoria é de 66%. Estes resultados são frutos da queda recorde no índice de mal manuseio de malas alcançada globalmente nos últimos dez anos, com a taxa estável em cerca de 5,7 malas por mil passageiros nos últimos três anos. Em 2018, o índice foi de 5,69 por mil passageiros. No ano passado, um número crescente de transportadoras e aeroportos começaram a introduzir o rastreamento em pontos-chave da jornada como check-in, carregamento na aeronave, conexões e chegada, para melhorar o gerenciamento de bagagens e reduzir ainda mais as chances de serem mal manuseadas. A pesquisa da SITA fornece o primeiro vislumbre do sucesso desse rastreamento. Ele revela que onde havia este sistema, o nível de melhoria variou entre 38% e 66%, dependendo do nível de rastreamento introduzido. A transferência de mala de uma aeronave, ou companhia aérea, para outra permanece um ponto importante na viagem e em 2018, foi novamente a principal razão para o manuseio indevido. As bagagens de conexão representaram 46% de todas as malas extraviadas. Na última década, o número total de malas manuseadas indevidamente por ano despencou 47%, de 46,9 milhões em 2007 para 24,8 milhões em 2018, enquanto o faturamento anual da indústria encolheu 43%, para US$ 2,4 bilhões, comparado a US$ 4,22 bilhões em 2007.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn