ALTA

Foram transportados 24,2 milhões de passageiros ou 4,5% a mais em comparação com o mesmo período do ano anterior

A Associação de Transporte Aéreo da América Latina e do Caribe anunciou que as companhias aéreas da América Latina e do Caribe transportaram 24,2 milhões de passageiros no último mês de fevereiro ou 4,5% a mais em comparação com  o mesmo período do ano anterior. O tráfego aumentou 2,6% e a capacidade aumentou 4,7%, elevando o fator de ocupação para 79%, 1,6 ponto percentual a menos que em 2019. Em fevereiro, a região ainda não havia sentido os efeitos do COVID-19 e o movimento de passageiros das transportadoras aéreas da região cresceu impulsionado pelo mercado doméstico, enquanto o segmento internacional caiu pelo sexto mês consecutivo, principalmente devido a dificuldades sócio-políticas e econômicas que a região enfrenta desde o terceiro trimestre do ano passado, além dos primeiros efeitos das restrições de viagem devido ao avanço do vírus na Europa. Destacaram-se o crescimento doméstico do Brasil que registrou +3%, México +14%, Chile +10,9% e Colômbia +12%. Por outro lado, 5,7 milhões de passageiros internacionais foram transportados, dos quais 3,5 milhões eram viajantes internacionais na região e 2,2 milhões de fora. O mercado de e para a América Latina e o Caribe diminuiu 1% na comparação. Em março, a maioria dos países da região decretou restrições de mobilidade que minimizavam a operação de passageiros, mantendo ainda o transporte de carga, o que é ainda mais relevante nessa circunstância devido ao apoio humanitário que oferece transporte de medicamentos, exames, pessoal médico, mercadorias e suprimentos essenciais dos países.