Tráfego de passageiros na América Latina e Caribe diminuiu 17,5% em março

Foram transportados um total de 31,1 milhões de passageiros no período

A Associação de Transporte Aéreo da América Latina e do Caribe (ALTA) anunciou que as companhias aéreas que operam no mercado da América Latina e do Caribe transportaram 31,1 milhões de passageiros no último mês de março, número 17,5% menor do que no mesmo período do ano anterior. O tráfego diminuiu 22,9% e a capacidade diminuiu 11,7%, elevando o fator de ocupação para 71,9%, ou 10,4 pontos percentuais a menos do que em 2019. A queda mais acentuada foi observada no mercado internacional intra-latino-americano com 27% menos passageiros e na última semana do mês, alguns mercados como Colômbia, Argentina, Panamá, Equador e Peru operaram até 95% menos voos do que na mesma semana do ano anterior. Nos relatórios de abril e maio, haverá uma diminuição ainda mais pronunciada no tráfego. As perdas para a indústria e as economias da região ainda são incalculáveis ​​e aumentam a cada dia. No entanto, as viagens aéreas permanecem resistentes, fornecendo serviços humanitários essenciais por meio de operações de repatriação e transporte de cargas. As empresas aéreas estão fazendo um esforço extraordinário para sobreviver a essa crise sem precedentes, mas não podem fazer isso sozinhas. Os estados desempenham um papel crítico na implementação de medidas que aliviam custos fixos e melhoram o fluxo de caixa, permitindo que as operadoras do setor se sustentem e se recuperem quando houver melhora. A aviação e o turismo terão papel fundamental na recuperação econômica dos países, por isso as organizações do setor já estão trabalhando em um plano de reativação ajustado à nova realidade social, onde prevalecerá o distanciamento social, os mais altos padrões de saúde e segurança e proteção do passageiro e do pessoal envolvido.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn