Tráfego de passageiros na América Latina e Caribe diminuiu 92,3% em junho

Mais de 32 milhões de passageiros deixaram de voar na região em comparação ao mesmo mês do ano passado

A Associação de Transporte Aéreo da América Latina e do Caribe anunciou que as companhias aéreas que operam no mercado da região transportaram 2,7 milhões de passageiros em junho ou 92,3% menos, o que representou a perda de 32.324.328 viajantes que no mesmo período do ano anterior. O movimento diminuiu 94,3% e a capacidade recuou 92,9%, levando a taxa de ocupação para 65,3%, 16,6 pontos percentuais a menos que no mesmo mês de 2019, mas 40% superior ao registrado em maio desse ano. Os dados refletem o tímido reinício das operações aéreas de passageiros na região com a reativação de alguns mercados como Equador, Peru e alguns países do Caribe, como Curaçao. O mercado interno brasileiro, que havia registrado quedas de mais de 90% em abril e maio, recuou 87% em junho, o que mostra que o setor de aviação comercial está começando a retornar aos poucos. Algumas estimativas indicam que até dezembro de 2020 será possível operar 50% da capacidade originalmente planejada para o ano, com níveis de tráfego semelhantes aos que foram registrados em 2009. Dessa forma, a ALTA continua somando esforços para conseguir a reabertura oportuna dos mercados na região e dar aos passageiros confiança nos protocolos de biossegurança que estão sendo aplicados para que a aviação não seja um vetor do vírus. Foto: Renato Oliveira

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn