Tráfego de passageiros na América Latina e no Caribe diminuiu 97% em abril

Números foram divulgados pela Associação Latino-Americana e do Caribe de Transporte Aéreo

A Associação Latino-Americana e do Caribe de Transporte Aéreo anunciou que as companhias aéreas que operam no mercado da América Latina e do Caribe transportaram 1,08 milhão de passageiros em abril deste ano, ou 97% menos menos que no mesmo período de 2019. O tráfego diminuiu 97,1% e a capacidade recuou 96%, com o fator de ocupação chegando a 59,6%, ou 23,7 pontos percentuais a menos do que no ano passado. Somente os mercados do México, Chile e Brasil operaram em abril e ainda apresentaram reduções de mais de 90% no movimento de viajantes. As rotas com mais operações foram entre Cidade do México e Cancun com 42.300 passageiros, São Paulo e Rio de Janeiro com 30.419 viajantes e Santiago do Chile e Calama com 22.200 pessoas. No mercado internacional, as linhas entre México e Houston com 6.100 passageiros, São Paulo e Frankfurt com 5.900 viajantes e México e Atlanta com 5.600 pessoas. No acumulado de janeiro a abril, já foi registrada uma redução de 30% no tráfego, o que representa uma diminuição de 43 milhões de passageiros e uma perda aproximada de receita de pouco mais de US$ 10 bilhões para as transportadoras que operam na região. Os números para o mês de maio serão semelhantes, mas para junho uma situação um pouco melhor se aproxima da abertura de mercados como o Equador e o Panamá. Com base nos anúncios feitos pelas autoridades da região, estima-se que até setembro todos os países terão suas restrições de viagem levantadas. A recuperação será progressiva e a ALTA espera poder registrar quase 50% da capacidade originalmente planejada até dezembro e recuperar gradualmente o movimento na região. De acordo com estudos da ICF, somente em 2025 serão vistos números de tráfego iguais aos níveis de 2019. Mais informações no portal https://www.alta.aero/. Foto: Renato Oliveira

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn