Aeroporto de Guarulhos: quase uma cidade

A construção do Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos foi idealizada na década de 70. Estudos de engenharia produzidos por empresas nacionais e estrangeiras, além de razões de ordem estratégica indicavam a conveniência de aliar os interesses da aviação comercial e da aviação militar. Daí, a decisão de construir o aeroporto compartilhado com a Base Aérea de São Paulo, que foi construída no início da década de 40 em um grande terreno doado pelas famílias Samuel Ribeiro e Guinle. Em 1977, após diversas negociações, decidiu-se que o melhor lugar para a construção do Aeroporto Internacional era em Cumbica, que dista cerca de 25 km do centro da capital. A partir disto, diferentes medidas foram tomadas pelo governo do Estado de São Paulo, entre elas, a desapropriação de áreas para a instalação do aeroporto que seria compartilhado com a Base Aérea de São Paulo já instalada. Em 1980, começaram as obras do novo sistema aeroportuário e em 1985, concluída a primeira fase do projeto, foi inaugurado o Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos, que atualmente mais parece uma grande cidade auto-suficiente. Diariamente, com 66 posições definidas para parada de aeronaves, cerca de 100 mil pessoas transitam pelo local, que liga a capital paulista a 24 países e 138 cidades brasileiras e estrangeiras. São 370 empresas instaladas, entre elas cerca de 40 companhias aéreas, gerando mais de 22 mil empregos diretos e 60 mil empregos de forma indireta. Com capacidade para atender até 17 milhões de passageiros por ano em dois terminais, o aeroporto recebe anualmente cerca de 12 milhões de usuários e se prepara para a construção de um terceiro terminal de passageiros, o que elevará a sua capacidade para 29 milhões de passageiros/ano. As obras, em fase de licitação, estão previstas no Plano Diretor do Aeroporto, e devem ser iniciadas em breve. O Aeroporto Internacional de São Paulo é também um dos principais modais de logística de carga aérea do Brasil. A demanda de vôos diários internacionais transporta desde frutas produzidas no Vale do São Francisco aos medicamentos mais sofisticados criados pela ciência. O terminal de cargas do aeroporto é o maior da América do Sul e na América Latina perde apenas para o da Cidade do México. No ano passado, passaram pelos terminais de importação e exportação 230,8 mil toneladas de carga. Fotos externas: Fábio Laranjeira Foto interna: Eduardo França

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn